HOME WORK

Conhecido como Home work, home Office ou trabalhar em casa, tornou-se uma tendência bem salutar no Brasil, tendo em visto, aos diversos pontos positivos que trazem esta característica. A principio sendo em números pequenos, não representa ainda uma parcela satisfatória no mercado econômico, pois é pequeno o suficiente para não fazer muito barulho, mas o home work pode tornar-se algo muito forte para os próximos anos, diante de um mercado econômico tão conturbado e instável como se encontra, nem sempre a melhor saída é fazer grandes demissões e sim cortar gastos e tentar de todas as maneiras permanecer com o mesmo quadro de funcionários, mesmo que isso gere redução de benefícios.

Temos alguns fatores positivos que contribuem para a concretização do home work no Brasil.

Vejamos quais são:

Situação do Trânsito:

Não é novidade que um dos grandes problemas da vida moderna, tem sido a alarmante quantidade de automóveis nas ruas do nosso Brasil, principalmente nas grandes e megas cidades como São Paulo e Rio de Janeiro , desencadeando a cada dia um desgaste físico e emocional pertinentes ao imenso volume de automóveis que existem , ficando cada vez mais difícil trafegar nestas cidades, ocasionando estresse, e outros malefícios ao próprio ser humano, onde temos um auto índice de pessoas doentes diante de um quadro tão caótico como se encontram os trânsitos de grandes cidades, as pessoas já chegam cansadas e estressadas nos seus trabalhos. Poder trabalhar sem enfrentar o transito caótico e estressante que se encontra nas grandes cidades é o sonho de muitos profissionais, isso agregaria qualidade de vida nas pessoas e conseqüentemente um trabalho com exímio rendimento e perfeição.

Análise de Custo no deslocamento:

Sabemos que cada vez é mais caro o custo de deslocamento de um funcionário, onde temos uma realidade de transporte público cada vez mais precário, tendo por sua vez, alternativas caras, como por exemplo, utilizar o próprio carro , para quem o possui , arcando os custos e manutenção do veículo. Sendo o trabalho desenvolvido em casa, pode tornar-se uma alternativa viável, além de evitar trânsito, evita-se também o custo de  deslocamento que é excelente para o funcionário e principalmente para a empresa.

Situação de conforto quanto a Conveniência:

Os fatores de horários flexíveis, conforto de casa e em alguns casos também poder fazer as outras atividades domésticas em paralelo, tornam-se importantes de serem observados.

Quanto a Tecnologia:

Caminha lado a lado ao profissional, telefone, skype, internet e outros recursos de mídia são aliados neste processo, estando presente de forma totalmente efetiva para uma comunicação de qualidade. Sabemos que um Home work não é sinônimo de viver isolado, em absoluto, precisa estar conectado, pois irá se comunicar com clientes, fornecedores e etc.

Quanto a Legislação:

A princípio não temos uma legislação no Brasil que dê amparo a este tipo de atividade, tendo em visto, estarmos ainda engessados, porém, com o crescimento aos poucos deste tipo de atividade no mercado de trabalho, podemos ter grandes chances de ocorrer alguns ajustes na atual legislação, regulando desta forma o modelo do home work, permitindo por sua vez o desenvolvimento e a efetivação no país.

Lado negativo do Home work:

Dividir o espaço de casa com o trabalho, não é tarefa fácil, como alguns imaginam. Exige muita disciplina e determinação, agindo sempre com equilíbrio com relação aos horários estipulados para cada atividade. Uma boa agenda auxilia também neste processo. Torna-se um desafio diário, porém com resultados satisfatórios e conclusivos.

COWORKING

2No início de julho de 2016, no Caderno de Economia de um determinado e conceituado Jornal de grande circulação, foi abordado acerca de Coworking, ou seja, trata-se de espaços compartilhados entre profissionais de diferentes áreas de atuação.

O que a gente observa é que o foco na verdade é desencadear grandes oportunidades de network, de encontros, estimulando desta forma a inovação em negócios. Constatamos que, quanto mais forem diversificados os profissionais no mesmo espaço utilizado, mais possibilidades de grandes idéias surgirem, isto através de conhecimento compartilhado entre profissionais, empresas.

Analisando economicamente, temos um fator muito interessante que são os custos de operação bem menores, ganhos em produtividade, qualidade e eficiência.

Em pesquisa feita nos preços de alugueis de salas comerciais no centro do Rio de Janeiro, grande centro de negócios do estado, foi constatado a diversidade e os absurdos dos preços, temos preços que variam de R$ 1.000,00 a R$ 60.000,00 dependendo da área (m²) e vagas para estacionamento, acrescentando IPTU + Condomínio.

Imagine o quanto estes profissionais podem economizar com relação à preocupação de pagarem estes alugueis, sem falar, que para alugar uma sala comercial existe todo um quadro de burocracias e exigências determinadas pela Imobiliária.

Uma boa dica para quem está iniciando um negócio ou pensa em fazer uma redução de custos, e não tem mesmo como assumir altos custos é a utilização dos Coworking, porém não serve apenas para profissionais liberais, autônomos, mas também estamos percebendo algumas empresas utilizarem essa opção.

Esta tendência de Coworking tornou-se mundial, temos alguns exemplos de empresas que utilizam este método como o Itaú (espaço de soluções digitais), a Google (abriu um campus em São Paulo para startups e coworking – tendo residência de seis meses sem custo – atitude brilhante).

Este nicho de mercado imobiliário tem chamado a atenção de Empreendedores que desejam investir neste tipo de negócio voltado para o setor de imóveis corporativos e comerciais, onde tem fomentado à economia colaborativa. Diante de uma economia brasileira tão instável, um tipo de investimento interessante são estes espaços informais planejados, contendo cozinhas, salas, sofás, lounges e também para quem desejar salas privativas. Para profissionais liberais, autônomos e algumas empresas que assim desejam utilizar, os preços desses espaços alugados tornam-se muito mais viável do que um aluguel fixo de uma sala comercial.

Observamos que existe uma grande vantagem em custos propriamente dito do coworking, seja o fato do profissional poder dedicar mais seu tempo precioso ao desenvolvimento de sua atividade, sem as preocupações quanto à infraestrutura. O Coworking possui uma diversificação bem grande de preços, que podem ser variados por hora, contratos mensais, anuais, isto tudo enquadrado de acordo com a necessidade do cliente profissional.

Em recente pesquisa no Caderno de Economia, num jornal de grande circulação no país, foi verificado que 378 espaços de coworking já foram abertos no Brasil até o mês de Abril de 2016. 148 estão localizados em São Paulo, 35 estão concentrados no Rio de Janeiro e ao todo no mundo temos 7.800 unidades, tendo previsão até 2018 reunir 1 milhão de profissionais que utilizarão esta tendência.

(Adm. Vania M.F.A.C.Mendonça)