As organizações estabelecem políticas de bem-estar no trabalho por força da lógica da sociedade de mercado por meio da gestão de pessoas. Os administradores de empresas por formação são sabedores de que não basta contar com o conhecimento técnico do empregado, é necessário também conquistar a sua energia motivacional gerando o tão esperado envolvimento na realização das atividades, pois os resultados da empresa dependem nível de envolvimento das pessoas no processo produtivo.

A política de bem-estar no trabalho abarca todo universo de ações e projetos voltados para a integração do indivíduo dentro da organização, estas ações devem ser realizadas de modo a envolver os empregados tanto no aspecto psicológico quanto físico.

No âmbito laboral busca-se à eficiência, aumento dos padrões de desempenho e de produtividade, ao desenvolver ações voltadas para o bem-estar físico e mental do trabalhador a empresa propicia a motivação e a satisfação do empregado no desenvolvimento das suas atribuições contratuais, obtendo assim, os resultados positivos para o alcance do seu objetivo estratégico.

Neste sentido, a política de bem-estar visa aprimorar a convivência entre as pessoas da organização, fortalecer as habilidades sociais e pessoais dos trabalhadores, desenvolver práticas esportivas e fomentar o desenvolvimento do potencial criativo por meio das várias formas de expressão.

Para realizar ações dessa natureza, se faz necessário todo um conhecimento de gestão de pessoas, aonde a aplicabilidade de cada ação venha acompanhada de um resultado prático.

Walter Cunha – Administrador de Empresas, Advogado,MBA em Gestão