Todo profissional  que se preza, em alguma fase de sua carreira  se questiona:
Quais  atitudes  são fundamentais  para manter  uma carreira de sucesso?
Geralmente para alcançar este objetivo requer anos de trabalho duro, sacrifício e
concentrar  esforços no sentido de ser um profissional de valor. Mas  será que
tudo vale a pena?  O que significa  estar disposto? É cumprir  o que  o cargo
requer ou aquilo que  seu chefe lhe pede?  É  a mesma coisa?  Não,
definitivamente não são.  Quando participa de uma entrevista,  o profissional
vende sua imagem e compra, da empresa, possibilidades  que  ela  ofere como
moeda de troca.  O profissional  oferecerá  trabalho, dedicação, integridade,
resultados positivos, assertividade  (ou mesmo erro, pois é através do mesmo
que se aprende e se cria possibilidades de acerto), assiduidade, compromisso e
como  retribuição  terá  um salário, uma gratificação, benefícios, ambiente
saudável, mas principalmente um plano de  carreira bem definido, para que,
cumprindo seu papel,  possa saber até onde poderá chegar.  Em algumas
oportunidades o profissional entra na  empresa  e ouve muitas promessas. Um
filme com legenda em outro idioma, que muitas vezes não é traduzido ao pé da
letra. Ou ainda, fica o dito pelo não dito e o profissional acaba se perguntando:
“Onde foi que eu errei?”. Antes de  “bater em retirada”, vale a pena observar
alguns fatores relevantes:
Não procurar o coelho na cartola. Não pense que a sua maneira correta de agir
vai mudar o mundo, mas siga seus instintos e não se corrompa, mais cedo ou
mais tarde,  quem violou regras ou seguiu caminhos escusos, vai responder
pelos seus atos;
Não se  comportar ou  agir de  maneira  visando  somente  conquistar a
credibilidade e o respeito das pessoas. O tempo é o senhor de todas as coisas e
através dele se conhece quem é o príncipe e quem é o sapo da história.
Se alguma coisa não vai bem, seja profissional para expressar suas
preocupações. Porém, nem sempre o certo será  certo, nem tão pouco o errado
será condenado.
Estar atento às armadilhas de quadrilhas que se disfarçam de profissionalismo
competente. E neste caso é necessário que se cerquem de muita incapacidade
técnica e falta de escrúpulos para fazer  a máquina de dinheiro  rodar. Algum
tempo mais  tarde,  você  vai  entender por que  agir com integridade  em sua
carreira pode interferir em sua vida particular;
Aprenda a dizer não: É difícil dizer não para  sua chefia, mas  às vezes isso é
exatamente o que você precisa fazer, ou ainda, que ela espera de você.
Agradar pessoas não é o foco e talvez não o conduza a lugar nenhum. Porém,
você precisa ser  amigável com  seus  colegas de trabalho. No entanto,  isso não
significa que você realmente necessite ser amigo deles. Ambientes corporativos
são muito competitivos e algumas pessoas vão fazer o que for preciso para ser
promovido. Não deconsidere que você poderá ser a pedra no caminho que será
removida para esta promoção.
Conheça a si mesmo: Identifique seus pontos fortes, seu conjunto de valores e
crenças e tente conduzir-se de acordo. Não deixe que as práticas das empresas
antiéticas possam  influenciar você. Cerque-se de pessoas positivas que  fazem
você se sentir  confortável.  Trabalhe seus pontos fracos  a  fim não tornar-se
vulnerável para o ataque das pragas daninhas.
Considere que a vida é um vai e vem. Assim como na fábula da Cigarra e da
Formiga,  existem profissionais que aproveitam o sol para  trabalhar, enquanto
outros descansam na sobram daqueles que trabalham.
Seja em qual posição estiver, atente-se para aqueles profissionais  que quando
ocupam cargos privilegiados, muitas vezes, removem pedras equivocadamente
ou  propositalmente,  com receio de  ter  sua vaga ameaçada pelo  profissional
“inimigo”. Não considerando que novamente, em outras oportunidades, a vida
poderá oferecer-lhes posições contrárias.
Melhorar sua linguagem corporal, otimizar o uso de gestos e sinais não verbais
poderá ajudar na construção da sua imagem, mas nem tudo que reluz é ouro.
Tão fácil quanto produzir um manequim com batons e sombras, também existe
um profissional sombrio que se esconde através de uma boa maquiagem
curricular, endossada por padrinhos afetuosos.
Seja como for,  a  questão da responsabilidade  corporativa  geralmente vem  a
público  quando  a  mesma permite que pessoas  sobreponham  suas  vontades
individuais e esquecem o coletivo. Exemplos de tais comportamentos já formam
uma  legião e geralmente, envolvem  seus próprios lucros à custa de prejuízos,
frustações,  desperdícios e perda de tempo. Atenção é o  essencial movimento
que necessitamos para  evitar tantas armadilhas  e buscar dias melhores,  esteja
onde estiver.