Diariamente deixamos nossos lares, nossos familiares e vamos para nossos trabalhos. Este desligamento temporário nem sempre é fácil, principalmente se temos filhos pequenos que requeiram mais cuidados e atenção. Para melhor suportarmos esta rotina é preciso que a atividade profissional seja prazerosa e que nossa estadia no ambiente laboral seja tranquila e agradável. Em decorrência do tempo que passamos na Organização devemos cuidar para que o convívio seja civilizado e aprazível.

As relações no trabalho se iniciam pela comunicação, quando você interage com o outro, seja essa interação de cunho exclusivamente profissional ou social.

A interação saudável se baseia nos princípios que nos foram passados por pais e educadores quando ainda formávamos nossa personalidade. Que são:

  1. Educação;
  2. Respeito;
  3. Civilidade;
  4. Empatia;
  5. Paciência;
  6. Saber ouvir;
  7. Cordialidade;
  8. Sensibilidade;
  9. Ética;
  10. Tolerância.

Se estes princípios forem aplicados criaremos um ambiente favorável “à relação profissional”, se formos um pouco mais adiante, se pudermos acrescentar a amizade, a camaradagem e a cumplicidade, aí então estabeleceremos também um ambiente favorável “as relações humanas”, onde cada vê o outro não como empregados da mesma empresa simplesmente, com quem devemos partilhar tarefas, mas sim alguém com quem podemos além do ofício, compartilhar angustia, preocupações, insatisfações, e, alegrias e vitórias. Afinal somos seres sociáveis, e como tal, precisamos estar junto de nossos semelhantes, necessitamos dividir, compartilhar, comungar, sermos ouvidos, afagados e auxiliados.

No ambiente organizacional devemos focar sempre as necessidades da Empresa, nossos esforços devem estar voltados para realização de nossas tarefas, para o atingimento de metas, para o transpor de barreiras funcionais e para o atendimento ao que por força de contrato nos comprometemos a realizar. Nesse ambiente não lidamos exclusivamente com máquinas, por isso precisamos estar atentos aos relacionamentos.

A garantia de um ambiente favorável às relações saudáveis requer a adoção de algumas práticas:

  1. Sermos comprometidos;
  2. Termos domínio de nossas obrigações;
  3. Estarmos consciente de que uma organização é uma engrenagem em que cada peça é uma pessoa que depende de outra, que esta relação de dependência nos leva a atuar em equipe, e que cada um deve ter consciência do outro;
  4. Devemos sempre prestar a informação correta e com maior riqueza de detalhes possível, isto facilita a compreensão e minimiza a possibilidade do outro errar;
  5. Devemos ouvir com calma e atenção até o final da explanação, isto nos permite entender e alcançar exatamente o que o outro precisa, e não o que nós achamos que ele precisa;
  6. Devemos expor com clareza e detalhadamente o que precisamos para desenvolver nossa tarefa, isto facilita a compreensão do outro, e consequentemente a entrega do que exatamente necessitamos;
  7. Devemos sempre nos certificar de termos entendido, e de sermos entendidos;
  8. Devemos ouvir e analisar com calma todas as propostas apresentadas, e se não as considerarmos as ideais devemos expressar esta opinião de forma respeitosa, educada e cordial, nunca com vaidade, mas sempre no intuído de colaborar, de acrescentar, de auxiliar o outro. Devemos nos esforçar para apresentar propostas que substituam aquelas que não consideramos ideais, nunca façamos a crítica pela crítica, lembremos que estamos diante de colegas de trabalho, não de inimigos ou adversários;
  9. Ao nos comunicarmos por escrito devemos optar pela língua culta, obedecendo às regras gramaticais e escolhendo as palavras que melhor expressem nossas idéias, se necessário recorrendo a um dicionário. Isto facilita o entendimento, demonstra respeito pelo receptor e comprometimento com o trabalho. Contudo precisamos cuidar para não tornar o texto presunçoso, utilizar a língua culta não significa praticar uma linguagem rebuscada e que pode não ser compreendida por todos, mas sim o discorrer correto e desprovido de vícios e gírias. A linguagem coloquial é admitida, até preferida, nos contatos telefônicos e por e-mails, por se tratarem de canais de comunicação que requerem mensagens rápidas e informais;
  10. Não podemos permitir que nossos problemas sirvam de desculpara para o desrespeito com o outro;
  11. Nunca utilizemos em nossa comunicação palavras de baixo calão, ambiente de trabalho não é roda de amigos;
  12. Nenhum superior solicitará a realização de uma tarefa desnecessária, no máximo solicitará de forma diferente do que entendamos como ideal, então devemos expor nossa posição, ninguém lê pensamentos, mas façamos de forma cordial, educada e respeitosa, da forma como gostaríamos que fizessem conosco. Sendo nossa opinião pertinente, é possível que seja acatada.

Como podemos perceber a comunicação é o alicerce das relações, e deve ser praticada com base no respeito mútuo, na cordialidade e na boa vontade, então, se aplicados estes princípios em nossas relações profissionais e pessoais, estaremos sendo assertivos.