Gestão de estoques

A gestão de estoques eficaz é fundamental para a sobrevivência das empresas que ofertam produtos a distribuidores e/ou ao cliente final. O empresário deve saber quais são os seus principais produtos (os mais vendidos e os que proporcionam os maiores faturamentos mensais). Os mais vendidos representam os produtos que mais atraem o consumidor atualmente; e os que proporcionam maior faturamento, que podem ser os mais vendidos e/ou os de maior valor agregado que possuam um alto valor monetário no mercado. É claro que os gestores devem ter muita atenção, também, com a margem de lucro dos produtos, trabalhando para reduzir os custos unitários variáveis e os custos fixos do negócio, sem reduzir a qualidade que atrai o consumidor.

A ferramenta Curva ABC pode ser muito útil em fazer essa separação dos produtos do negócio em classes, baseada na teoria de Pareto. A partir desses relatórios, os gestores podem alocar os recursos financeiros de forma mais eficiente para a empresa, priorizando quando os recursos forem escassos.

O empreendedor deve balancear todos os custos envolvidos na gestão de estoque. Na verdade, o empresário deve analisar de uma forma mais ampla, balanceando todos os custos envolvidos no processo logístico, obtendo o menor custo total logístico. Existem custos de compras, manutenção (armazenamento, manuseio, embalagens, perdas, quebras, obsolescência, roubo, custo de oportunidade) e faltas ou atrasos, relacionados ao estoque, além dos custos de transporte, relacionados à distribuição. O gestor deve verificar, ainda, os demais custos empresariais decorrentes de uma estratégia de estoques, como no caso do custo de produção, o qual pode ser reduzido com a aquisição de um lote econômico, gerando a queda do custo unitário da matéria-prima ou produto.

Os empresários devem ficar atentos em relação aos fornecedores, verificando se eles têm um bom nível de serviço; se há muitos fornecedores de determinado produto importante (competição); a localização dos fornecedores. Isso tudo irá influir na estratégia de estoques da empresa.

O tipo de produto e de demanda também são primordiais. As oportunidades e ameaças de mercado devem ser sempre observadas, para que a tomada de decisão seja mais assertiva para a empresa. Exemplificando, muitas empresas sofrem com o desabastecimento de matérias-primas ou produtos acabados, seja por causa da pandemia, da greve dos caminhoneiros, do atolamento do navio no canal de Suez, isso pode causar um grande transtorno para a empresa que não estiver devidamente preparada, gerando faltas e atrasos nas entregas e encarecimento dos produtos escassos naquele momento. Este exemplo não quer dizer que a empresa deve ter grandes estoques, muito pelo contrário, o ideal é ter um estoque “enxuto” e que atenda o nível de serviço da empresa. Entretanto, o gestor deve analisar o ambiente e a empresa para tomar as decisões, e, por vezes, é necessário aumentar o estoque para se proteger de uma ameaça ou aproveitar uma oportunidade.

Acessem a página abaixo (link) para obter informações sobre o livro O Controle Eficaz de Estoques — Autor: Vinícius de Oliveira Guimarães — através do site da Above Editora e Publicações
https://above-editora.lojaintegrada.com.br/o-controle-eficaz-de-estoques

Deixe um comentário

VALIDAÇÃO *