O presente estudo tem como objetivo desenvolver a capacidade de administrar as próprias emoções, elevar a autoestima e a autoconfiança para encontrar soluções de como administrar conflitos e gerir competências que exijam o uso do controle emocional, já que durante uma negociação a pessoa pode demonstrar ou não equilíbrio entre razão e emoção.

Os desvios emocionais se refletem no organismo como um todo e são somatizados no corpo físico, podendo influenciar negativamente os resultados de uma negociação. Se o indivíduo aprender a desenvolver mais emoções positivas, a qualidade de sua vida pode melhorar, afetando positivamente nos resultados de suas negociações.

“…a capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos. ”
Daniel Goleman – Inteligência Emocional”